Primeira dama de Porto Velho cometeu crime eleitoral caso seja candidata nas próximas eleições

Vereador Fogaça denuncia suposto loteamento de cargos comissionados na Prefeitura para beneficiar  Ieda Chaves, no caso dela sair candidata a deputada estadual

Segundo ele, irregularidades objetivo a captação de votos e a apoio político na possível candidatura da primeira dama que se filiou ao União Brasil na semana passada e lançada a deputada estadual

Porto Velho, RO – O vereador Everaldo Fogaça (Republicanos) disse nesta terça-feira 29.03, durante a sessão plenária da Câmara Municipal de Porto Velho, que está havendo um suposto esquema de favorecimento ocorrendo na Prefeitura da capital para beneficiar uma possível campanha eleitoral da primeira dama, Ieda Chaves (União Brasil).

Segundo ele, o esquema está sendo executado abertamente, sem cerimônias, e ´na cara dura´, por um sobrinho da primeira dama, conhecido por Jonatan, que está cooptando jornalistas, líderes de bairros e de outros segmentos para assumirem cargos comissionados em troca de voto.

De acordo com o vereador, ele vai levar a denúncia ao conhecimento da Justiça Eleitoral e pedir providências para que a situação não torne a disputa desigual para o lado de quem está com a máquina pública em mãos. “Não vou aceitar calado esse loteamento de cargos”, comentou.

Em aparte, o líder do prefeito na Câmara Municipal, Marcelo Reis, disse que caso a denúncia esteja realmente ocorrendo não é com a anuência do prefeito Hildon Chaves. Marcelo também requisitou ao vereador Fogaça algumas provas, inclusive lista de nomeações, se possível, para apuração.

Em resposta, Fogaça disse que ´tudo virá no seu tempo certo´ e que a Casa terá acesso a esse material, inclusive com depoimentos de eleitores, dando a entender que já possui em mãos evidências graves que podem levar a Justiça Eleitoral a tomar medidas de peso para evitar prejuízos contra candidatos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.